BIOBIBLIOGRAFIA

CRONOLOGIA BIOBIBLIOGRÁFICA

1961 ➤ Nasce (21 de agosto) em Cataguases (MG). Segundo filho de Ilma Araújo Bagno e Alaor Bagno, que terão ainda outros seis.

1964 ➤ Se muda com a família para Salvador (BA).

1966 ➤ Se muda com a família para o Rio de Janeiro (GB, na época). Aprende a ler sozinho e ingressa diretamente no 2o ano do curso primário.

1973 ➤ Ingressa no Colégio Pedro II (Humaitá), onde cursará da 5a série ao 1o ano do ensino médio e onde começa a estudar francês.

1977 ➤ Se muda com a família para Brasília (DF).

1979 ➤ Ingressa no Centro de Ensino Médio Elefante Branco, onde cursa o 2o e o 3o ano do ensino médio. Faz curso de artes cênicas e inicia seu trabalho com teatro.

1980 ➤ Obtém bolsa de estudos da Fundação Educacional do Distrito Federal para completar seus estudos de francês na Aliança Francesa de Brasília.

1981 ➤ Inicia amizade com Alexandre Ribondi, uma das influências mais marcantes de sua vida. Sai da casa dos pais para ir morar com Ribondi e Romário Schettino. Com Ribondi faz suas primeiras incursões no teatro em circuito alternativo de Brasília. Faz vestibular para Letras na Universidade de Brasília (UnB), é aprovado, mas cursa somente o primeiro semestre. Inicia sua carreira de tradutor profissional, traduzindo livros para a Editora da Universidade de Brasília e para a revista Humanidades, da UnB.

1982 ➤ Encena Crêpe-Suzette, o beijo da Grapette: texto e direção compartilhados com A. Ribondi, com quem divide o palco.

1983 ➤ Trabalha como tradutor e locutor da programação em língua francesa da Rádio Nacional de Brasília (ondas curtas), até 1984. Inicia amizade com Orlene Carvalho e Dora Galesso, futuras parceiras em trabalhos acadêmicos e artísticos. Atua na peça Os Rapazes da Banda, de Matt Crowley, com direção de Dimer Monteiro.

1985 ➤ Faz novo vestibular e é aprovado para o curso de Letras da Universidade de Brasília. Ensina francês e tradução na Aliança Francesa de Brasília. Na UnB tem aulas com Stella Maris Bortoni-Ricardo, que o inicia nos estudos sociolinguísticos, e com Antonio Salles Filho (latim e português clássico), influências marcantes em sua futura carreira de docente e pesquisador.

1986 ➤ Encena Crêpe-Suzette II, a Revolta: texto e direção compartilhados com A. Ribondi. No palco, além de Ribondi, Vítor Max Filho (in memoriam) e Chico Sant’Anna.

1987 ➤ Se muda para o Recife (PE), onde se casa com Sonia Alexandre. Faz novo vestibular e é aprovado no curso de Letras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Ali será aluno de Irandé Antunes, Maria da Piedade M. Sá (in memoriam) e Luiz Antônio Marcuschi, que exercerão grande influência em suas posturas acadêmicas e científicas. Inicia carreira de intérprete simultâneo de conferências (francês, espanhol e italiano), que exercerá até 1994, acumulando mais de mil horas de cabine em dezenas de eventos internacionais realizados na região Norte/Nordeste.

1988 ➤ Recebe o IV Prêmio Bienal Nestlé de Literatura (categoria contos, 1o lugar) com o livro A invenção das horas (publicado pela Editora Scipione; atualmente fora de catálogo). Faz sua primeira viagem a São Paulo, para receber o prêmio. Inspirado numa fala de Bartolomeu Campos de Queirós, escreve seu primeiro livro para crianças, O papel roxo da maçã, que receberá no mesmo ano o Prêmio João de Barro, da Prefeitura de Belo Horizonte, selecionado pelo público infantil e publicado no mesmo ano pela Editora Lê. Nasce sua primeira filha, Júlia Francisca. Recebe também o Prêmio Cidade de Belo Horizonte (conto) e o Prêmio Cidade do Recife (poesia). O papel roxo da maçã recebe o selo de “Altamente recomendável”  da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil).

1989 ➤ Por recomendação de Paulo Rónai, com quem mantém correspondência, inicia seu trabalho de tradutor de literatura para a editora Nova Fronteira (O Demônio da Meia-Noite, de Hervé Bazin). Recebe o Prêmio Carlos Drummond de Andrade de Poesia (do governo do Estado do Rio de Janeiro), conquistando os dois primeiros lugares. Embora a premiação inclua a publicação dos livros, eles permanecerão inéditos. Recebe o Prêmio Estado do Paraná (conto).

1990 ➤ Nasce seu segundo filho, Miguel Estêvão, que se tornará o ilustrador e artista gráfico Miguel Bezerra.

1991 ➤ Publica Um céu azul para Clementina (Lê; infantil). Nasce sua terceira filha, Maria Valentina. Conclui o curso de Letras (Bacharel em Língua Portuguesa) na UFPE. Publica Frevo, amor & graviola (Atual; juvenil).

1992 ➤ Inicia o curso de Mestrado em Linguística na Universidade Federal de Pernambuco, sob orientação de Maria da Piedade M. Sá. Em parceria com Stella Maris Rezende, publica Os nomes do amor (Moderna; juvenil, atualmente fora de catálogo).

1994 ➤ Se transfere com a família para São Paulo (SP). Inicia seu trabalho de tradutor para as Edições Loyola, onde conhece Marcos Marcionilo, com quem inicia profunda amizade e colaboração intelectual. Publica A barca de Zoé (Formato; infantil).

1995 ➤ Defende sua dissertação de Mestrado na UFPE com o título A luta desigual: mito e realidade nos livros didáticos de língua portuguesa (crítica à abordagem da relação ortografia/fonologia nos livros destinados ao ensino fundamental). Publica Miguel, o cravo & a rosa (Lê; infantil), Bafafá em Mangabela (Formato; infantil), A vingança da cobra (Ática; juvenil; fora de catálogo) e Unhas de ferro (Lê; juvenil; fora de catálogo).

1996 ➤ Ingressa no curso de Doutorado da Universidade de São Paulo, inicialmente no programa de pós-graduação em Linguística e, após um ano, no programa de pós-graduação em Filologia e Língua Portuguesa, sob orientação de Ataliba T. de Castilho.

1997 ➤ Publica A língua de Eulália: novela sociolinguística (Contexto).

1998 ➤ Publica Pesquisa na escola: o que é, como se faz (Loyola), Machado de Assis para principiantes (Ática) e Dia de branco (Lê, atualmente fora de catálogo).

1999 ➤ Publica Preconceito linguístico: o que é, como se faz (Loyola). A primeira edição do livro se esgota rapidamente e a segunda sai no mesmo ano, revisada e ampliada.

2000 ➤ Defende sua tese de Doutorado, intitulada Dramática da língua portuguesa: preconceito linguístico e exclusão social, sob orientação de Ataliba T. de Castilho e co-orientação de Maria Marta Pereira Scherre. Na banca também estão Sirio Possenti, Milton do Nascimento e Angela C. Rodrigues. A tese sai publicada no mesmo ano com o título Dramática da língua portuguesa: tradição gramatical, mídia & exclusão social (Loyola).

2001 ➤ Organiza o volume Norma linguística (Loyola), com textos que traduz do francês, sobretudo de autores canadenses. O livro é uma coletânea extraída da obra coletiva La Norme linguistique, organizada por J. Maurais e E. Bédard, no Quebec. Com Marcos Marcionilo e Andréia Custódio funda a Parábola Editorial. O primeiro título da nova editora é sua obra Português ou brasileiro? Um convite à pesquisa.

2002 ➤ Perde, em circusntâncias trágicas, seu irmão Marcelo, biólogo, em trabalho de campo no interior de Goiás. Sob o impacto dessa perda, presta concurso para professor na Universidade de Brasília, é aprovado e começa a atuar em agosto, no Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas. Organiza o volume Linguística da norma (Loyola), com textos de autores brasileiros acerca da problemática da norma linguística. Traduz, organiza e publica Língua materna: letramento, variação & ensino (Parábola). Publica O espelho dos nomes (Ática; infantil).

2003 ➤ Publica A norma oculta: língua & poder na sociedade brasileira (Parábola).

2004 ➤ A convite do Ministério das Relações Exteriores, empreende ciclo de palestras nos países do Mercosul (Argentina, Paraguai e Uruguai) acerca da sociolinguística do português brasileiro e seu ensino para estrangeiros. Participa como vice-coordenador nacional do Programa Nacional do Livro do Ensino Médio (PNLEM).

2005 ➤ Participa como vice-coordenador nacional do PNLD-Dicionários. Publica Uma vida de contos de fadas (Ática; biografia romanceada), em comemoração ao bicentenário de nascimento de Hans Christian Andersen; Murucututu, a coruja grande da noite (Ática; infantil) e A lenda do Muri-Keko (SM; infantil).

2006 ➤ Publica sua tradução do clássico da sociolinguística Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística (Parábola), de Weinreich, Labov e Herzog, com apresentação de Carlos Alberto Faraco e posfácio de Maria Eugênia L. Duarte e Maria da Conceição de Paiva. A convite do sociolinguista galego Henrique Moteagudo, viaja à Galiza para ministrar curso sobre o português brasileiro no Mestrado da Universidade de Santiago de Compostela. Participa também de seminário de sociolinguística na Universidade de Vigo.

2007 ➤ Participa como coordenador regional (DF) do PNLD 2008 de Língua Portuguesa. Publica Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística (Parábola). Seis dissertações de Mestrado sob sua orientação são defendidas no programa de pós-graduação em Linguística da Universidade de Brasília. Faz estágio de pós-doutoramento na Universidade Federal de Minas Gerais, no CEALE (Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita), da Faculdade de Educação, sob supervisão de Maria Lúcia Castanheira. O projeto visa investigar o tratamento dado aos conhecimentos linguísticos nos livros didáticos de língua portuguesa.

2008 ➤ Inicia sua colaboração mensal com a revista Caros Amigos, depois de ter sido matéria de capa da edição do mês de fevereiro, com longa entrevista sobre as questões linguísticas na sociedade brasileira. A colaboração recebe o nome de “Falar brasileiro”.

2009 ➤ Publica Não é errado falar assim! Em defesa do português brasileiro (Parábola). Publica sua tradução (feita em colaboração com Maria Marta Pereira Scherre e Caroline Rodrigues Cardoso) da obra Padrões sociolinguísticos, de William Labov, publicada originalmente em 1972. Inicia sua colaboração com a Editora Positivo, por iniciativa de Marcelo del’Anhol, com a publicação de Caraminholas de Barrigapé (infantil). Participa como coordenador regional (DF) do PNLD 2010 de Língua Portuguesa. Ao retornar, depois do pós-doutorado, à UnB, se transfere para o Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução, onde ministra disciplinas de prática de tradução do francês. Colabora na criação do futuro programa de pós-graduação em Estudos da Tradução (POSTRAD).

2010 ➤ Publica Gramática: passado, presente e futuro (Aymará) e Gramática, pra que te quero? Os conhecimentos linguísticos nos livros didáticos de português (Aymará), resultado da pesquisa empreendida durante o pós-doutorado. Publica, em nova edição revista e com novas ilustrações, O papel roxo da maçã (Positivo). Publica Festa no meu jardim (Positivo; poesia para crianças). Viaja em novembro ao México, onde ministra curso e profere palestras na Universidad Autónoma Nacional de México (UNAM). Publica Vaganau (Parábola; poesia).

2011 ➤ Publica O tempo escapou do relógio (Positivo; poesia para crianças). Conclui a escrita da Gramática pedagógica do português brasileiro (Parábola), que será publicada no final do ano. É convidado a participar do III SIMELP (Simpósio Internacional de Estudos da Língua Portuguesa), na Universidade de Macau (China).

2012 ➤ Retorna ao México, para novo ciclo de cursos e conferências na UNAM. Publica As memórias de Eugênia (Positivo; romance). Viaja à Itália, para ciclo de conferências na Università del Salento (Lecce) e na Università di Bologna, onde conhece Roberto Mulinacci, com quem inicia produtiva colaboração. As memórias de Eugênia recebe o Prêmio Jabuti. Publica Conversa de gatos (Parábola; infantil).

2013 ➤ A convite das Edições SM, viaja a Bogotá para participar do II CILELIJ (Congresso Ibero-americano de Língua e Literatura Infantil e Juvenil). Realiza encontro com professores de português no IBRACO (Instituto Brasil-Colômbia). De Bogotá viaja ao México, para ciclo de conferências na Universidad Autónoma de Baja California (Mexicali, Tijuana e Ensenada). Viaja em maio à Itália, para realizar oficinas de tradução, palestras e participar de um seminário na Università di Bologna. Retorna a Bogotá em junho para um curso de uma semana no IBRACO. No IV SIMELP, realizado em Goiânia, participa da mesa redonda que reúne os autores de gramáticas do português: Maria Helena Mira Mateus, Maria Helena de Moura Neves, Evanildo Bechara, Ataliba T. Castilho, José Carlos de Azeredo e Mário A. Perini. Publica Gramática de bolso do português brasileiro (Parábola) e Sete erros aos quatro ventos: a variação linguística no ensino de português (Parábola). Tem viagem programada para a Alemanha (Hamburgo), para participar do X Congresso de Lusitanistas, e de novo para a Università di Bologna, para uma banca de doutorado. Em outubro, vai ministrar o curso “Linguagem e sociedade” na Universidad de la República (Montevidéu). Publica Marcéu (Positivo; juvenil), inspirado na morte de seu irmão Marcelo.

5 comentários sobre “BIOBIBLIOGRAFIA

  1. Pingback: Novas Páginas | Marcos Bagno

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s